Iansã

IMAGEM:

http://acentauric.deviantart.com/art/Iansa-608006302

RESUMO:

Uma das orixás mais fascinantes que existe, ela é a representação do poder feminino e a sua capacidade de independência. Ainda que se permita realizar atividades associadas aos homens, ela jamais perde o seu lado sensual. Em vias gerais esta rainha é representada como uma guerreira capaz de lutar bravamente ao mesmo passo em que pode amar intensamente. Ela é vista ao lado de seus companheiros, mas jamais atrás deles e à frente se assim desejar. Em um dos seus contos, ela demonstra a sua capacidade de se transformar em búfalo. O orixá Ogum, ao encontrá-la se banhando num rio, percebeu que ela tinha tal capacidade e então roubou sua pele. Ele desejava controlá-la assim. Ainda que Iansã tivesse aceitado o pedido de casamento de Ogum, ela jamais se acostumou com aquela situação prisional. Mesmo que com o tempo ela tivesse aprendido a amar o seu marido, ela jamais deixou de amar sua liberdade. Quando teve a primeira oportunidade de recuperar sua pele ela imediatamente fugiu e voltou para a mata.

Escrito por Ramon Santos

O projeto Batalha de Mitos é parceria entre Alpha Centauri e Sinergia Games

JUSTIFICATIVA:

Enquanto estávamos selecionado as divindades que poderiam ocupar o papel de representar o elemento ar, de forma quase unânime chegamos à conclusão de que Iansã deveria ser escolhida. Ainda que esta orixá também domine outros elementos, como o fogo, certamente o ar é um dos que mais domina. Durante as leituras nos livros de Verger e Prandi, percebemos em diversas passagens que Iansã utiliza a sua dominação do vento para atender a algumas de suas necessidades. Seja para ajudar Ogum na forja do ferro ou para simplesmente para fugir de casa em determinada ocasião, estávamos certos de que era Iansã a rainha dos ventos. Nossas pesquisas somente nos garantiram que deveria ser de fato esta orixá a ocupar este local. Ainda que outros orixás tenham algumas relações diretas ou indiretas com o ar, Iansã certamente é aquela que mais está aderente ao elemento selecionado. Este e tantos outros contos reforçam sempre a imagem de uma mulher que deseja a sua liberdade acima de tudo, mas que jamais perde sua essência. Iansã representa a mulher guerreira que busca a sua independência com as suas próprias forças e competências.

Escrito por Ramon Santos

NARRATIVA:

Na narrativa do projeto MDT, Iansá será apresentada algumas vezes. Aquela que será utilizada para a construção da divindade como uma personagem, será aquela ocasião em que Iansã aparece no quarto da pequena Dandara para fazer o seu papel de condução dos eguns para o orum. Toda o este evento é apresentado de forma mais detalhada no texto de narrativa da personagem Dandara. Em resumo se apresenta uma Iansã mais madura e cronologicamente posterior aos eventos narrados, por exemplo, nos livros do Reginaldo Pradi. Será uma Iansã vinda da África junto com os escravos e que vive aqui no Brasil com eles sempre os protegendo. Toda a maestria da divindade é apresentada na narrativa e sua passagem, ainda que demasiadamente importante, é superficialmente rápida. Isto acaba até sendo uma coincidência não proposital de uma passagem como naturalmente é a passagem do seu elemento, o ar.

Escrito por Ramon Santos

CARACTERÍSTICAS:

Iansã será representada por uma personagem que já passou por todas as histórias contadas sobre ela. Isto devido ao fato de que cronologicamente esta orixá pode ser representada de formas distintas conforme o momento em que for apresentada. Por este motivo foi escolhida esta representação de uma personagem madura cronologicamente posterior a todos os seus contos. Digamos que esta será uma Iansã contemporânea não esquecendo que o ano que em ocorre a narrativa é entre 1880 e 1890. Conforme briefing geral enviado para o ilustrador via Whastapp, a Iansã será apresentada na história quando encontra uma criança (Dandara) sendo amedrontada por um mito folclórico (Chibamba). A criança está nos colos da sua ama de leite que faleceu devido ao susto da criatura horrenda. Iansã irá salvar a criança e a criatura horrenda servirá à orixá a partir daquele momento. Ela irá utilizar o Eruexim para expulsar o Chibamba no instante em que ele tenta proteger a máscara em seu rosto do vento gerado por este instrumento. Não representaremos na ilustração da Iansã os chifres do búfalo, pois conforme cronologia estes devem estar sobre posse dos seus filhos. Em contra partida deverá ser representado um par de chifres no meio das vestimentas do Chibamba. Manteremos a ideia central de representar o orixá como um ente personalizado (antropomórfico), assim como sua característica corpórea da raça negra. A sua espada deve estar no seu cinto dentro de uma bainha e o seu escudo deve ser representado por um medalhão com um búfalo desenhado como fivela deste cinto. A posição da Iansã deve relembrar a dança do candomblé que a representa, assim como este movimento poderá ser entendido como a ação de usar o Eruexim para produzir o vento. As roupas devem ser compostas por vestimentas que representem peças justas elevando suas curvas e por peças de pano leve que a dê volume (isto reforçando aquelas roupas mais clássicas deste orixá). Outro ponto de volume serão seus cabelos longos e negros conforme imagem de referência 16. Inclusive sugere-se utilizar essa mulher como modelo de referência para a criação do personagem conforme imagem 17. As cores vermelho e amarelo devem ser representadas na personagem, mas por ser uma lustração do grupo Ar devem ser utilizadas cores (azul, cinza, branco, preto) no ambiente que reforcem essa particularidade. Baseando-se na imagem 12, deve sem adicionados diversos adornos no pescoço e nos punhos da Iansã. Contas devem ser utilizadas para este propósito.

Escrito por Ramon Santos

REFERÊNCIAS:

https://www.youtube.com/watch?v=3I0FYdlQMJk
https://www.youtube.com/watch?v=y46Qe4d0heM
https://www.youtube.com/watch?v=txxpaK9EbSE
https://www.youtube.com/watch?v=USmM9bXC1T8
https://www.youtube.com/watch?v=5qK1yFDyC1M
https://www.youtube.com/watch?v=kk217vPYEn8
https://www.youtube.com/watch?v=4tZna9T7D3M
https://www.youtube.com/watch?v=XZyZRMAk1xM
https://www.youtube.com/watch?v=l825o3f9aiU
http://ocandomble.com/os-orixas/iansa/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ians%C3%A3
http://www.raizesespirituais.com.br/orixas/iansa/
http://www.casaiemanjaiassoba.com.br/iansa.html
http://www.terreirotioantonio.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=55&Itemid=73
http://santadeusa.blogspot.com.br/p/oya.html

LIVROS:

VERGER, Pierre Fatumbi. Lendas africanas dos Orixás. 4ª Edição. Salvador: Corrupio, 1997. p. 44-47.
PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. 12ª Reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. p. 294-311.

LINKS:

https://www.facebook.com/sinergiagames
https://www.facebook.com/acentauric
http://acentauric.deviantart.com/
https://www.facebook.com/batalhademitos/
https://www.youtube.com/playlist?list=PLy7c38X48lDXaL1KLWXSQLFjm24VS4lQj

Ir para projetos

Últimos Trabalhos

Anhangá

deuses-indios, elemento-terra

Dandara

deuses-negros, elemento-ar

Força dos Ventos

deuses-negros, elemento-ar

Eruexim

deuses-negros, elemento-ar
Contact us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Questions, issues or concerns? I'd love to help you!

Click ENTER to chat