Anhangá

IMAGEM:

http://acentauric.deviantart.com/art/Anhanga-572761240

RESUMO:

Um dos deuses do panteão indígena e há bastante confusão em relação à sua representatividade. Entre as diversas análises do seu nome são apresentadas características de uma criatura mística que se move com rapidez. Existe uma visão diferente entre a abordagem apresentada pelos índios e aquela que foi herdada a partir da intervenção dos jesuítas. Muitas vezes o apresentavam como uma representação do diabo, pois houve certa confusão na tradução como “diabo velho” ao invés de “alma antiga”. Na mitologia, este ser é apresentado como a primeira alma a ser criada e por este motivo possui essa denominação. Mesmo com as diversas variações das abordagens relacionadas a esta divindade, sempre era apresentada uma caracterização mais voltada para um ser maligno. É importante ressaltar que este é um ponto de vista específico geralmente apresentando por aquelas pessoas que tiveram situações ruins com este ser. O seu papel era representado pela proteção e não pela prática da maldade. Assim como diversos outros protetores, muitas vezes é necessário adotar um papel firme para executar a sua tarefa contra os malfeitores. Diversos registros o apresentam como um espírito velho que vaga nos campos e no cerrado em proteção das criaturas que lá vivem. Uma de suas formas mais comuns é a de um veado de olhos vermelhos com uma cruz branca no meio da testa. Era praticamente impossível capturá-lo por causa da velocidade com que se movimentava. Esta figura acabou provocando um pouco de associação com o diabo devido ao fato do veado possuir chifres. Também tem a capacidade de adotar outras formas como a de um peixe, um tatú e alguns outros seres. Para cada uma dessas transformações, ele recebe um novo nome. Algumas fontes chegam a apresenta-lo como o deus do inferno, fazendo um papel similar a outros deuses de outras culturas que se classificam com esta tarefa.

Escrito por Ramon Santos e revisado por Filipe Sant’Ana

O projeto Batalha de Mitos é parceria entre Alpha Centauri e Sinergia Games

CARACTERÍSTICAS:

Buscando manter a representação da divindade, iremos apresentar o Anhangá com uma estrutura mais humanoide em vez da clássica representação do veado. Será um homem de aparência velha, mas não será uma representação negativa e sim positiva da velhice. Deverá ter o corpo branco e os olhos vermelhos, assim como deverá possuir uma coroa com chifre de veado. Deverá ser representado prioritariamente nas cores branca e vermelha e sua aparência deverá apresentar medo para os que observam. As características indígenas deverão ser mantidas e a habilidade de possuir uma alta velocidade deverá ser representada em sua ilustração. Algumas pinturas que os índios usam para atividades de caça devem ser representadas em sua pele. Deverá existir uma cruz vermelha que o Anhangá irá segurar por uma cordão vermelho na sua mão direita, esta é uma forma de representar a sua relação com as abordagens cristãs dadas a ele.

Escrito por Ramon Santos e revisado por Filipe Sant’Ana

REFERÊNCIAS:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anhang%C3%A1
http://www.dicionarioinformal.com.br/anhang%C3%A1/
http://www.casadobruxo.com.br/textos/magia78.htm
http://portal-dos-mitos.blogspot.com.br/2014/02/anhanga.html

LIVROS:

LINKS:

https://www.facebook.com/sinergiagames

 https://www.facebook.com/acentauric

http://acentauric.deviantart.com/

https://www.facebook.com/batalhademitos/

https://www.youtube.com/playlist?list=PLy7c38X48lDXaL1KLWXSQLFjm24VS4lQj

 

Ir para projetos

Últimos Trabalhos

Iansã

deuses-negros, elemento-ar

Dandara

deuses-negros, elemento-ar

Força dos Ventos

deuses-negros, elemento-ar

Eruexim

deuses-negros, elemento-ar
Contact us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Questions, issues or concerns? I'd love to help you!

Click ENTER to chat